Marco Aurélio Mello desorientado. O homem que ama a própria voz repete falas e se desespera com derrota de Lula no STF


Assim como os demais colegas que planejavam livrar o ex-presidente Lula da cadeia, o ministro Marco Aurélio Mello perdeu toda sua fleuma após os votos decisivos e históricos dos ministros Alexandre de Moraes e Rosa Weber.

O ministro ficou completamente perdido durante o julgamento do habeas corpus preventivo do ex-presidente Lula nesta noite, quando o placar já estava em 5 a 3 contra o habeas corpus. Sabendo que poderia contar apenas com o voto do decano, Celso de Mello, o ministro previa a derrota de Lula com o voto decisivo da presidente da Corte, ministra Cármen Lúcia.

O espetáculo do desespero do homem que ama a própria voz no plenário do STF foi deprimente. Marco Aurélio Mello repetiu dezenas de vezes expressões que demonstravam seu desespero em livrar Lula da prisão. O ministro repetiu várias vezes alguns trechos da Constituição, como  “ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória”, além das expressões "presunção de inocência" e "devido processo legal"

O ministro Alexandre de Moraes demoliu os argumentos que os demais ministros dispostos a salvar Lula trouxeram em suas malas. “Desde que haja o devido processo legal, desde que haja juiz competente, juiz natural, desde que haja previsão do ônus da prova ser do estado acusador, desde que todos os mecanismos processuais e recursais tenham sido utilizados, após uma decisão de segunda instância, que é a última que tem cognição plena em matéria jurídica e fática. Quem vai valorar testemunhas com demais provas são a primeira e segunda instâncias, não compete ao STJ ou STF reanalisar matéria fática.”,

“O juízo de consistência que permite a partir de sua formação a aplicação ou execução provisória da pena é a condenação em segundo grau. O que não impossibilita, e aqui também peço vênia para divergir do ministro Gilmar, que eventuais abusos sejam coibidos, seja pelo STJ ou STF. A possibilidade de medidas cautelares que têm efeito suspensivo. Agora, inverter a ordem é que me parece ilógico. Após passar pelas duas instâncias que têm cognição plena, a excepcionalidade seria não cumprir, se houver por parte do magistrado do tribunal de segunda instância, algum motivo.” afirmou Alexandre de Moraes em seu voto.

Ao final, o melancólico Marco Aurélio Mello votou em favor de Lula, ciente de que o caso já está decidido.
fonte:http://www.imprensaviva.com
Share:

Nenhum comentário:

Categories

Ordered List

  1. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit.
  2. Aliquam tincidunt mauris eu risus.
  3. Vestibulum auctor dapibus neque.

Sample Text

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation test link ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat.

Definition List

Definition list
Consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.
Lorem ipsum dolor sit amet
Consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.

Support

Need our help to upload or customize this blogger template? Contact me with details about the theme customization you need.

Pages

Visitas das Naçoes

LEIA E IMPOTANTE

Atenção Todos os links e arquivos que se encontram no site, estão hospedados na própria Internet, somente indicamos onde se encontra, não hospedamos nenhum CD ou programa que seja de distribuição ilegal. Qualquer arquivo protegido por algum tipo de lei deve permanecer, no máximo, 24 horas em seu computador. Eles podem ser baixados apenas para teste, devendo o usuário apaga-lo ou compra-lo após 24 horas. A aquisição desses arquivos pela internet e de única e exclusiva responsabilidade do usuário. Os donos, webmasters e qualquer outra pessoa que tenha relacionamento com a produção do site não tem responsabilidade alguma sobre os arquivos que o usuário venha a baixar e para que irá utilizá-los.
O que diz a lei brasileira: A Lei 10.695/03 resolve definitivamente a polêmica questão acerca da cópia única para uso privado do copista, sem intuito de lucro, ao inserir o parágrafo 4º no artigo 184, que exclui tal prática, de forma expressa, da incidência das penas previstas nos parágrafos precedentes. § 4o O disposto nos §§ 1o, 2o e 3o não se aplica quando se tratar de exceção ou limitação ao direito de autor ou os que lhe são conexos, em conformidade com o previsto na Lei nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998, nem a cópia de obra intelectual ou fonograma, em um só exemplar, para uso privado do copista, sem intuito de lucro direto ou indireto.” (NR) Portanto, copiar obra integral, em um só exemplar, para uso exclusivamente privado, sem intuito de lucro, não é tipificado como crime.

Arquivo do blog